Eu fico com a pureza Yo me quedo con la pureza
Da resposta das crianças De la repuesta de los ninos
É a vida, é bonita Es la vida, es bonita
E é bonita Y es bonita
Viver Vivir
E não ter a vergonha Y no tener la verguenza
De ser feliz De ser feliz
Cantar e cantar e cantar Cantar y cantar y cantar
A beleza de ser La belleza de ser
Um eterno aprendiz Un eterno aprendiz
Ah meu Deus! !Ah Dios mío!
Eu sei, eu sei Yo sé, yo sé
Que a vida devia ser Que la vida debería ser
Bem melhor e será Mucho mejor y lo será
Mas isso não impede Pero eso no impide
Que eu repita Que yo lo repita
É bonita, é bonita Es bonita, es bonita
E é bonita Y es bonita
Viver Vivir
E não ter a vergonha Y no tener la verguenza
De ser feliz De ser feliz
Cantar e cantar e cantar Cantar y cantar y cantar
A beleza de ser La belleza de ser
Um eterno aprendiz Un eterno aprendiz
Ah meu Deus! !Ah Dios mío!
Eu sei, eu sei Yo sé, yo sé
Que a vida devia ser Que la vida debería ser
Bem melhor e será Mucho mejor y lo será
Mas isso não impede Pero eso no impide
Que eu repita Que yo lo repita
É bonita, é bonita Es bonita, es bonita
E é bonita Y es bonita
E a vida Y la vida
E a vida o que é? ?Y la vida que es?
Diga lá, meu irmão Dímelo, mi hermano
Ela é a batida de um coração Ella es el latido de un corazón
Ela é uma doce ilusão Es una dulce ilusión
Hê! Hô! Je! Jo!
E a vida Y la vida
Ela é maravilha ou é sofrimento? Ella es maravilla o sufrimiento?
Ela é alegria ou lamento? Ella es alegría o lamento?
O que é? O que é? Qué es? Qué es?
Meu irmão Mi Hermano
Há quem fale Hay quién diga
Que a vida da gente Que la vida de la gente
É um nada no mundo Es una nada en el mundo
É uma gota, é um tempo Es una gota, es un tiempo
Que nem dá um segundo Que no llega al segundo
Há quem fale Hay quién diga
Que é um divino Que es un divino
Mistério profundo Misterio profundo
É o sopro do criador Es el soplido del criador
Numa atitude repleta de amor En una actitud repleta de amor
Você diz que é luta e prazer Tu me dices que es lucha y placer
Ele diz que a vida é viver Él me dice que la vida es vivir
Ela diz que melhor é morrer Ella dice que mejor es morir
Pois amada não é Pues amada no es
E o verbo é sofrer Y el verbo es sufrir
Eu só sei que confio na moça Yo solo sé que confio en la chica
E na moça eu ponho a força da fé Y en la chica yo pongo la fuerza de   mi fe
Somos nós que fazemos a vida Somos nosotros que hacemos la vida
Como der, ou puder, ou quiser Como de, se pueda o se quiera
Sempre desejada Siempre deseada
Por mais que esteja errada Aunque esté equivocada
Ninguém quer a morte Nadie quiere la muerte
Só saúde e sorte Solo salud y suerte
E a pergunta roda Y la pregunta gira
E a cabeça agita Y la cabeza agita
Eu fico com a pureza Yo me quedo con la pureza
Da resposta das crianças De la respuesta de los ninos
É a vida, é bonita Es la vida, es bonita
E é bonita Y es bonita!
Viver Vivir
E não ter a vergonha Y no tener la verguenza
De ser feliz De ser feliz
Cantar e cantar e cantar Cantar y cantar y cantar
A beleza de ser La beleza de ser
Um eterno aprendiz Un eterno aprendiz
Ah meu Deus! !Ah Dios mío!
Eu sei, eu sei Yo sé, yo sé
Que a vida devia   ser Que la vida debería ser
Bem melhor e será Mucho mejor y lo será
Mas isso não   impede Pero eso no impide
Que eu repita Que yo lo repita
É bonita, é   bonita Es bonita, es bonita
E é bonita Y es bonita

Traducción Aline Fagundes, dic 2013

Breve resenha artista

Luiz Gonzaga do Nascimento Júnior nasceu em 22 de setembro de 1945, no  Rio de Janeiro, filho legítimo de Luiz Gonzaga, o rei do baião, e  Odaléia Guedes dos Santos, cantora do Dancing Brasil.

“Venho de  Odaléia uma profissional daquelas que furam cartão e de vez em quando  sobem no palco; ela cruzou com meu pai e de repente eu vim”  (Gonzaguinha)

A mãe morreu de tuberculose ainda muito moça, com  apenas 22 anos de idade, deixando Gonzaguinha órfão aos dois anos, e o  pai, não podendo cuidar do menino porque viajava por todo Brasil,  entregou-o aos padrinhos

“Dina (Leopoldina de Castro Xavier) e  Xavier (Henrique Xavier), baiano do violão das calçadas de Copacabana,  do pires na zona do mangue, morro de São Carlos foram eles que me  criaram e por isso eu toco violão. (Gonzaguinha)

As primeiras  letras Gonzaguinha aprendeu numa escola local, mas as verdadeiras lições  de vida recebeu pelas ladeiras do morro. Quando garoto, para conseguir  algum dinheiro, carregava sacolas na feira.

Compôs a primeira canção “Lembranças da Primavera” aos 14 anos, e em 1961, com 16 anos, foi morar em Cocotá com o pai para estudar. Voltou para o Rio de Janeiro para estudar Economia, pela Universidade Cândido Mendes. Na casa do psiquiatra Aluízio Porto Carrero conheceu e se tornou amigo de Ivan Lins. Conheceu também a primeira mulher, Ângela, com quem teve 2 filhos: Daniel e Fernanda. Teve depois uma filha com a atriz Sandra Pêra, a atriz e cantora Amora Pêra. Foi nessa convivência na casa do psiquiatra, que fundou o Movimento Artístico Universitário (MAU), com Aldir Blanc, Ivan Lins, Márcio Proença, Paulo Emílio e César Costa Filho. Tal movimento teve importante papel na música popular do Brasil nos anos 70 e em 1971 resultou no programa na TV Globo Som Livre Exportação.

Após uma apresentação em Pato Branco, no Paraná, Gonzaguinha morreu aos 45 anos vítima de um acidente automobilístico às 7 h e 30 min do dia 29 de abril de 1991, entre as cidades de Renascença e Marmeleiro, enquanto dirigia o automóvel, um Chevrolet Monza, rumo a Francisco Beltrão, depois ia a Foz do Iguaçu. Dedicou os últimos anos da sua vida a cuidar da obra de seu pai. Gonzaguinha foi enterrado no Cemitério Parque da Colina, em Belo Horizonte, em abril de 1991

Característico pela postura de crítica à ditadura, submeteu-se ao DOPS. Assim, das 72 canções mostradas, 54 foramcensuradas, entre as quais o primeiro sucesso, Comportamento Geral. Neste início de carreira, a apresentação agressiva e pouco agradável aos olhos dos meios de comunicação lhe valeram o apelido de “cantor rancor”, com canções ásperas, comoPiada infeliz e Erva. Com o começo da abertura política, na segunda metade da década de 1970, começou a modificar o discurso e a compor canções de tom mais aprazível para o público da época, como Começaria tudo outra vez, Explode Coração, Grito de alerta e O que é o que é, e também temas de reggae, como Nem o pobre nem o rei.

 As composições foram gravadas por muitos dos grandes intérpretes da MPB, como Maria Bethânia, Simone, Elis Regina(Redescobrir ou Ciranda de Pedra), Fagner, e Joanna. Dentre estas, destaca-se Simone com os grandes sucessos de Sangrando, Mulher, e daí e Começaria tudo outra vez, Da maior liberdade, É, Petúnia Resedá.

 Em 1975 dispensou os empresários e se tornou um artista independente, o que fez em 1986, fundar o selo Moleque, pelo qual chegou a gravar dois trabalhos.

 Nos últimos doze anos de vida, Gonzaguinha viveu em Belo Horizonte com a segunda mulher Louise Margarete Martins (Lelete) e a filha deles, a caçula Mariana

Anuncios

Comenta aquí / Deixe seu comentário

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s