Passam os ponteiros

contando lágrimas finas,

enquanto estancada vejo

uma imagem em ruínas.

Eles detêm-se na lembrança,

numa ideia, velhos anseios,

na madrugada do desejo,

fazendo chorar a esperança.

Passam assim sem roteiro,

apenas repetem as palavras,

e o eco dessa voz nublada

troveja na minha memória

Porque apesar do tempo,

de que já passou da hora,

meu coração ainda implora

pela vida de um sentimento

Porque os solitários ponteiros

procuram os restos mortais

do amor que ficou pra trás

mas ainda dói no meu peito.

Anuncios

2 comentarios sobre “Ponteiros. Autora Aline Fagundes

Comenta aquí / Deixe seu comentário

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s